Alimentos Não Indicados aos Pets
24/03/2016
A Importância do Vermífugo para Pets
12/04/2016

Noções de Primeiros Socorros

Há quem imagine que ter um pet em casa é viver apenas de momentos de alegria, como geralmente é a ideia que nos transmitem os comerciais de ração e de outros produtos e serviços ligados aos bichinhos. Não se engane!

Os pets podem ser comparados com os bebês humanos pela falta de noção do perigo na grande maioria dos casos. Essa noção pode vir com o tempo de vida e de acordo com a forma como ele lida com o mundo ao seu redor. Um pet que não tem o hábito de passear com seu tutor na rua ou que não possui adestramento para tal, certamente terá uma noção de perigo ainda menor e o risco de seu instinto falar mais alto em diversas ocasiões pode ser fatal, principalmente no caso dos cães.

Você conseguiria, por exemplo, identificar se há alguma fratura em seu pet após um atropelamento ou queda de altura, e, como proceder numa ocasião dessa? E na hipótese de algum tipo de intoxicação? Provavelmente você não tem noção de como agir e sequer pensou nisso, não é verdade? Afinal, ninguém quer imaginar aquele ser peludo e fofo em estado de sofrimento.

Pois bem, vamos então às dicas de hoje!

banner_home_seguro_vidaQualquer pet está sujeito a uma parada cardíaca, principalmente os que já possuam algum histórico de problemas cardíacos. E assim como nos humanos, a massagem cardíaca realizada de maneira correta, pode ser completamente eficaz para salvar a vida, mantendo o pet reanimado até que o socorro possa chegar ou que seja atendido em uma clínica/hospital veterinário.

Como Fazer?

Ao ter certeza que não existem batimentos cardíacos, deite seu pet de lado, com o coração para cima. Em seguida, posicione suas mãos sobrepostas logo após a dobra da perna dianteira (corresponde ao cotovelo humano), mantendo seus braços estendidos para que haja força suficiente ao pressionar a área. Basta então iniciar as pressões lembrando que a frequência dos batimentos cardíacos dos pets é um pouco acima da humana. Logo, é aconselhável que a pressão seja exercida pelo menos 100 vezes por minuto.

Excesso de salivação e vômito são os primeiros sintomas de algum tipo de intoxicação e/ou envenenamento alimentar, ou ainda, ocasionado pela curiosidade em roer ou ingerir algo indigesto, como plásticos, materiais com algum tipo de contaminação, líquidos com algum cheiro que possa atrai-los e etc. Outros sintomas a serem considerados são diarreias e tremores.

O Que Fazer?

É preciso identificar – antes de qualquer atitude – qual é a fonte da intoxicação para só então decidir por onde começar. Mas caso não seja possível, o correto é levar o pet a uma clínica, hospital ou solicitar a presença de um veterinário no local.

Se a fonte for água sanitária ou produtos de limpeza, você não deve provocar vômito, mas sim usar uma seringa para fazer com que o pet faça a ingestão forçada de clara de ovo. Em seguida procurar atendimento veterinário.

Sendo algum veneno ou planta, aí sim o vômito deverá ser provocado com o uso de salmoura morna ou com água oxigenada (10 vol.). A eficácia dessas opções se dá até no máximo 2 horas após o consumo indevido da substância.

Em casos de suspeita de fraturas após impactos, lesões, quedas ou atropelamentos, o primeiro passo é identificar se de fato ela ocorreu. Estas são situações que podem fazer o pet mancar com algum de seus membros e isso não significa necessariamente que houve uma fratura. Talvez seja apenas um deslocamento leve de algum nervo que com uma pequena massagem se resolva.

Para checar se há fraturas, apalpe todo o corpo do seu pet iniciando pelos membros já que estes são mais frágeis e sucintos a esse tipo de problema. Caso sinta algum osso se movendo de modo incomum, será o momento de providenciar uma tala.

As talas podem ser feitas com folhas de jornal, imobilizando toda a extensão onde o osso encontra-se fraturado. Nos membros traseiros, por exemplo, imobilizamos a partir da dobra (como se fosse o joelho humano) até a extremidade da pata, fixando a tala com pedaços de esparadrapo ou fita adesiva. O mesmo procedimento deve ser feito se as fraturas ocorrerem nos membros dianteiros.

Se a suspeita for de fratura em alguma vértebra ou outro osso cuja local não seja possível usar a tala, mantenha o pet deitado em uma superfície plana e firme, acalmando-o para que não se mova e procure imediatamente atendimento veterinário.

É muito comum que nossos pets gostem de brincar com bolinhas ou outros brinquedos e objetos que caibam em suas bocas. Além do prazer de brincar, eles também possuem a tendência de dar leves mordidas ou até mesmo roer esses brinquedos.

Sendo assim, é fundamental termos certeza que tais brinquedos e objetos não se fracionem com facilidade e que sejam de tamanhos que eles não consigam engolir, pois estes são os maiores vilões nos casos de asfixia dos pets. E o tempo de atendimento dos primeiros socorros é crucial para salvar a vida.

Ao perceber que estão se sufocando, eles passam as patas na lateral da boca como tentativa de desobstruir a passagem do ar. É comum também que balancem a cabeça de um lado para o outro várias vezes e comecem a andar para trás. Se estas ações estiverem acompanhadas de alteração nas mucosas e/ou uma tonalidade azulada das gengivas e língua, é certo que você estará diante de um caso de asfixia.

Procure abrir a boca do pet e tente ver o objeto. Se possível puxe-o com as pontas dos dedos, mas na impossibilidade de puxar ou ver o objeto, usamos com eles o mesmo procedimento usado com bebês, colocando-os de cabeça para baixo e dando um tapa firme nas costas para provocar a saída do objeto. Contudo, não dê o tapa sobre as vértebras ou com muita força para não fraturar a coluna do bichinho.

Cortes e pequenos ferimentos provocam dor e irritação nos pets, vez que limitam seus movimentos dependendo da região do corpo em que se encontram. Há os que se isolam devido a dor ou ao incômodo da ardência e há também os que demonstram irritação com tudo, inclusive com o tutor.

Antes de qualquer curativo, é primordial lavar bem o ferimento para avaliar seu tamanho e, sendo um corte, a profundidade deste. Mas use água fria devido a sensação de alívio que ela provocará. Nunca tente usar água morna porque ela poderá causar ardência fazendo com que o pet se irrite e até mesmo morda você.

Havendo sangramento no corte ou ferimento, faça uma compressão do local com gaze por cerca de 1 minuto, soltando devagar para conferir se o fluxo de sangue diminuiu. Pressione quantas vezes for necessária até estancar o sangue e em seguida faça o procedimento de limpeza.

Depois da devida higienização, use antisséptico próprio para curativos em pets ou a boa e velha água oxigenada de 10 volumes encontrada em qualquer farmácia. Essa higienização é fundamental para que não se instalem bactérias que possam causar inflamação. É importante manter um curativo no ferimento e evitar que seu pet o arranque. Se preciso, use um colar elisabetano. Você até o achará parecido com um abajur ou luminária, mas estará evitando que o curativo seja arrancado e o ferimento fique exposto a insetos e sujeiras.

Mesmo com todas as dicas destes tópicos, o melhor cuidado sempre será a prevenção. Em um ambiente composto por crianças e animais, você deve redobrar os cuidados. E, lembre-se sempre que após os primeiros socorros o ideal é consultar um veterinário.

8 Comentários

  1. Durvalina Violante da Conceição disse:

    Olha vocês estão de parabéns.
    Um site versátil e recheado de boas informações.
    Continuem assim.
    Nossos animaizinhos precisam desse carinho.
    Gostei muito daquela coisa do petcard, é uma coisa que veio para ficar. Vai facilitar muito as nossas vidas.
    Plano de saúde eu não tenho ainda, já tinha ouvido falar, e estou estudando fazer.
    Coisas de gente do bem.
    Abraço a todos

    • Dottor Dog disse:

      Sra. Durvalina. A equipe Dottor Dog, gradece pela sua participação no nosso blog. Certo que estamos nos dedicando para fazermos um bom trabalho e contribuindo assim para o bem estar dos animaizinhos e para facilitar a vida dos Tutores. Quanto ao Cartão de Descontos PetCard, este é um ótimo produto, pois além de possibilitar descontos em todo o mercado Pet, está também obtendo um grande sucesso em todo o país, com as ofertas de descontos destinadas as compras para o Tutor, como por exemplo no setor da estética, cura do corpo, beleza, roupas e acessórios, etc. Obrigado pela sua participação. Um abraço

  2. Théo Tavares disse:

    Muito interessante essas dicas. Minha filha que me falou de vocês. Adorei o site.

  3. Laercio Cidral disse:

    Muito bacana. Vocês deveriam dar mais dicas de veterinário. Seria legal.

  4. Vitória Stavus disse:

    Muito interessante este post. Gostei do site, cheio de informações.

    • Dottor Dog disse:

      Obrigado por participar do nosso blog Sra. Vitória. Esperamos realmente de termos sido úteis quando as dicas de primeiros socorros. Saudações de todo o grupo Dottor Dog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *