A Fera sob a pele de um Gato
18/08/2016
A importância dos Arranhadores para Gatos!
18/08/2016

Imunização em Cães e Gatos

Imunização:     TUDO SOBRE VACINAÇÃO EM CÃES E GATOS

NOS CÃES

A vacinação é muito importante para manter o seu cão com boa saúde. As vacinas protegem contra algumas doenças, muitas delas fatais para o seu animal e algumas podem ser transmitidas aos humanos, são chamadas de zoonoses e tem como exemplo a LEPTOSPIROSE.

As mais importantes são: parvovirose, Cinomose, leptospirose, hepatite, traqueobronquite –( tosse dos canis) e a raiva.

Não hesite em trazer o seu cão para vacinar para segurança dele e da família que o rodeia.

Quais Doenças Podem Ser Protegidas Por Vacinação?

Cinomose- é uma doença víral universal, de alta mortalidade com
manifestações variadas. Aproximadamente 50% dos cães não imunizados, se infectados com vírus da esgana, desenvolvem sinais clínicos da doença e aproximadamente 90% deles morrem.

Hepatite infecciosa canina – é causada pelo adenovírus canino tipo 1 e é caracterizada por lesões hepáticas e endoteliais generalizadas.

Infecções respiratórias por Adenovírus tipo 2 – Causam uma doença respiratória, que em casos severos, pode resultar em broncopneumonia e pneumonia.

Parainfluenza canina – é uma doença do trato respiratório superior. Geralmente suave ou subclínica, pode tornar-se severa se ocorrer infecção simultânea com outros patogénos respiratórios (nomeadamente o adenovírus tipo 2 e bactérias como a Bordetella bronchiseptica.). É chamada de modo comum traqueobronquite infecciosa canina ou “tosse do canil”. Os animais mais susceptíveis são os filhotes recém desmamados, os adultos debilitados por outras doenças ou submetidos a stress (ex: viagens longas) confinamentos em clinicas, hotéis, caixas em exposições, alimentações inadequadas e animais idosos.A doença é altamente transmissível por aerossóis (pequenas gotas eliminadas pelos espirros e tosse) e os animais apresentam os primeiros sintomas entre 3 a 10 dias após a infecção podendo persistir com os sintomas durante 3 a 4 semanas. Se não tratada, pode resultar em broncopneumonia grave.

Parvovirose canina – é primariamente uma infecção entérica caracterizada por vômitos e diarréia geralmente hemorrágica. A leucopénia geralmente acompanha os sinais clínicos. Os cães de 4-12 semanas de idade acometidos pela doença ocasionalmente podem apresentar miocardite que pode resultar em deficiência aguda do coração após doença breve e imperceptível. Após a infecção, muitos cães são refratários à doença por um ano ou mais. De forma similar, as cadelas soropositivas podem transferir anticorpos da parvovirose canina aos seus filhotes, podendo conferir imunidade passiva a estes, até que sejam vacinados. Em alguns casos, os anticorpos transmitidos de modo passivo podem permanecer nos filhotes até às 16 semanas!

Coronavírus canino – também causa doença entérica em cães susceptíveis de todas as idades. Altamente contagioso, o vírus é transmitido inicialmente através de contacto direto com fezes infecciosas e pode causar enterite clínica dentro de 1-4 dias após exposição. A severidade da doença pode ser exacerbada por infecção simultânea com outros agentes.
Sintomas iniciais incluem anorexia, vômito e diarréia. A freqüência de vômito geralmente diminui em 1 ou 2 dias após o surto de diarréia, mas a diarreia pode permanecer durante todo o período de infecção e a evacuação ocasionalmente pode ser sanguinolenta. A maioria dos cães, permanece sem febre e não é observada leucopénia em casos não complicados.

Leptospirose – ocorre em cães de todas as idades, com uma ampla variação de sinais clínicos mas quase sempre acompanhada de insuficiência renal grave e hepatopatia grave geralmente após infecção aguda. Existem 2 tipos de leptospira – a L. canicola e L.icterohaemorrhagiae que não podem ser diferenciadas clinicamente.

As vacinas têm elevada eficácia em animais sadios. Contudo alguns animais podem ser incapazes de desenvolver ou manter uma adequada resposta imune após a vacinação. Isto poderá ocorrer se os animais estiverem incubando alguma doença infecciosa, estiverem mal nutridos ou parasitados, ou estressados devido ao transporte, ou condições ambientais adversas, imunocomprometidos ou se a vacina não for administrada de acordo com as indicações da bula.
Assim, a vacinação deverá ser precedida de um minucioso exame clínico realizado por um médico veterinário.

NOS GATOS

A vacinação dos gatos é muito importante. As vacinas protegem contra algumas doenças, muitas delas fatais para o seu animal e algumas podem ate mesmo ser transmitidas aos humanos como a clamidiose.

Não hesite em trazer o seu gato para a vacinação, pois é seguro para ele e para família que o rodeia.Os gatos podem ser vacinados com 8 semanas de vida.

As doenças que podemos evitar quando vacinamos os felinos???

Panleucopenia – Os sintomas da doença estão relacionados com o sistema digestivo: vomito, perda de apetite e diarréia com ou sem sangue. A transmissão ocorre por contato direto do animal com as fezes ou urina de animais infectados.

Rinotraqueíte – Vacina contra Herpesvírus, microorganismo que tem preferência pelas mucosas nasais, traqueia e conjuntiva, caracterizando os sintomas respiratórios.
Como o Herpesvírus não é eliminado do organismo do animal após o contato, o gato não vacinado será portador definitivo do vírus. Isto quer dizer, que se o animal passar por um período de stress ou queda de resistência, o Herpesvírus poderá se manifestar, causando os sintomas respiratórios característicos: secreção ocular, nasal, tosse e pneumonia.

Calicivirose – Vacina contra o Calicivírus que também é responsável por problemas respiratórios nos gatos contaminados, além de provocar lesões na boca. Este vírus é muito resistente no ambiente.

Clamidiose – É uma zoonose (doença transmissível ao ser humano) responsável por conjuntivite e sintomas respiratórios suaves nos gatos.
É uma doença caracterizada por uma conjuntivite crônica e rinite moderada. Os sintomas precoces da doença são congestão ocular, aumento de lacrimejamento (ambos são unilaterais inicialmente e evoluem para bilaterais com o agravamento do processo infeccioso). Febre, rinite e espirros são observados comumente. O curso da doença é de 2-6 semanas em gatos adultos, a doença raramente é fatal.
A Rinotraqueíte, Calicivirose e Clamidiose, em geral, se apresentam associadas.

Leucemia Felina – É causada por um vírus responsável pelo aparecimento de tumores e queda de resistência do sistema de defesa do organismo, tornando-o sujeito a doenças oportunistas. A transmissão da doença faz-se através do contato direto com a saliva de animais contaminados, sangue ou por via transplancentária. A vida média de um animal doente é de 2 a 3 anos após a infecção. Gatos fracos ou que constante mente apresentam problemas de saúde são considerados suspeitos para Leucemia Felina. O diagnóstico é feito pelo teste ELISA. Não existe cura, apenas a prevenção por vacina. A Leucemia Felina é atualmente a doença que mais mata gatos que vivem em Gatis e Associações.

Fonte: http://www.hospitalveterinarioecovile.com.br/index.php?pg=Servicos_exibe&id=4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *